quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Adeus.

Que forma mais estranha de se começar um texto. Seguindo a teoria de Hume, negativa de causalidade, entendo que nada deverá ser necessariamente igual só porque algo bem parecido já me aconteceu, então borboleta sensivel só porque seu antigo namorado te fez sofrer como um cachorro abandonado, não quer dizer que o atual que tem as mesmas cor dos olhos vá te fazer sofrer tambem, nem todos os "eu te amos" ditos deverão ser dolorosos, assim como nem todas as despedidas serão dificeis.
Agora penso, que com o marco do fim dessa década, deverei trilhar novos rumos e abrir meu coração, bom nem só de solidão e amor 'eterno' se faz uma mulher, mereço um pouco mais e para isso estou aqui crente que não apenas 2010 será diferente e sim a minha década inteira, e apesar de reconhecer que todo fim de ano é a mesma ladainha, quero acreditar na diferença, convenhamos nem tudo continua da mesma forma.
Portanto, borboleta sensivel, pare de se lamentar, a dor irá passar e tu sabes disso, e o sol vai continuar raiando mesmo que por algum tempo esteja esperando o vento norte bater em suas asas, logo conheceras lugares e flores novas, a vida é assim meu amor, e agora chegou a hora de bater as asas para longe deste casulo vazio que se tornou sua antiga morada, utilize seus novos dons, e acredite ficar parada nao é um deles.
Hoje, o fim de mais um ano, de um plano, de um sonho, amanhã o início de novos prazos, novos metas e novos sonhos e isso inclui visão ampla e coração aberto.


- Seja feliz meu amor, volto logo (ou não).

beijos

3 comentários:

Niseloka disse...

2010 possibilidades..tá bom....

Salve Jorge disse...

Adeus
QUe há Deus
E Deusa
E novas certezas
Camafeus
De maior beleza
Que os seus
Então tenha a fineza
De desinventar...

Mary West disse...

Espero que volte.